Seguidores

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Onze-horas ao sol

Diante do sol

Onze-horas

E o dia correndo nas horas...

As flores se entregando em cores

Brancas amarelas cor-de-rosa

Feito uma poesia ao dia

Onze-horas

Flores lançadas à alma

Dos olhos passantes

Suspensas em vasos nas janelas

Recostadas às paredes

Das casas em primavera

Onze-horas

Volta o menino da escola

Cruza pela pracinha e vê

Nos canteiros em pleno sol

As flores animadas

Onze-horas

Anunciando o almoço

Antes do se ir das horas

Pois fecham as portas

Em seu concerto

Solar

De amor

Um comentário:

Chica disse...

Incrível,uma florzinha tão simples e tão linda! Eu na minha casa, tinha canteiros cheios dela!Lindo,Flor! beijos,chica