Seguidores

domingo, 17 de julho de 2011

Casa de sapé –
Assim de portas fechadas
fica tão pequena


11 comentários:

Paulo Francisco disse...

Todas as casas de portas fechadas se tornam pequenas.
Um beijo grande

Nete Brito disse...

casinha de 'adobe' e pau a pique... remexeu lembranças. Beijos.

Toninhobira disse...

Ah, eu fico aqui morrendo de saudade de uma infancia,onde visitava minha vó numa casa assim.
Que as portas estejam abertas para a paz,a felicidade.
Um abração amiga.
Bju de luz nos seus dias de belas poesias.

Vinicius.C disse...

Olá!!

Tentei deixar meu beijo no Sementinhas, mas nao consegui... quero deixar entao meu beijo aqui, e tbm neste espaço fazer-me presente!
Beijo

Rose disse...

Pequena por fora, né?
Adorei o "BANCO"...rs.

valeria soares disse...

Lembrou-me da casa de minha avó.
Adorei.

Zininha disse...

OI FLOR DE CAJU, VIM DEIXAR UM BEIJO E MEU CARINHO...

QUERIA TER CHEGADO ANTES...MAS AINDA DÁ TEMPO DE DESEJAR UM FELIZ DIA DO AMIGO...


"O que seria de nossa vida se não fossem os amigos, fiéis parceiros, companheiros de jornada, pessoas que entram em nossa vida para somar, para completar o que nos falta, por isso, sempre digo, ao acordar de manhã agradeça pela amizade, pelos amigos que tem."


BEIJOS...

Elisa T. Campos disse...

Seu espaço sempre me dá a sensação de muita paz. Vivi estas cenas na minha infância. Adoro passar por aqui.

bjs

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo registo...Espectacular....
Cumprimentos

Augusto Abreu disse...

muito bonito o seu blog, sua netinha é uma fofura, meus parabéns a você que é uma pessoa especial e abençoada por Deus, continue em frente por todos que precisam de pessoas como você no mundo, como este teu novo seguidor! Quanto a mim,meu nome é Augusto Abreu e escrevo contos que venho postando em http://contospromissores.blogspot.com, então convido-a a dar uma passada lá e dar uma olhada. Acredito que são estórias que tem algum valor. Dê sua sugestão para o que você gostaria de ler futuramente, eu agradeço. Um abraço.

Fred Caju disse...

Belíssimo. Deixemos as portas sempre abertas, pois!